Como aparelho ortodôntico trabalha para endireitar os dentes (vídeo)



O tratamento ortodôntico pode ser realizado em praticamente qualquer idade e para isso são usados aparelhos fixos ou removíveis, dependendo da indicação para cada caso. Os fixos são mais eficientes e indicados para corrigir problemas dentários mais complexos, pois funcionam 24 horas por dia, além de depender menos da colaboração do paciente. Já os móveis são usados para tratamentos em pacientes em fase de crescimento ou para tratamentos simples em jovens e adultos.


E apesar dos incômodos de um tratamento ortodôntico, os benefícios sempre são maiores. Isso porque dentes mal posicionados podem facilitar o aparecimento de cáries, doenças gengivais, perda de osso ao redor dos dentes, alterações da fala e problemas funcionais.

VOCÊ É DENTISTA OU SONHAR EM SER UM? Então curta a página: Dentista na net

Hoje médica, filha de gari recebe primeiro salário e começa a ajudar o pai


A médica Aline de Castro Pereira recebeu seu primeiro salário e já está ajudando o pai, o gari Tales Pereira, de 63 anos. “Quando eu recebi meu primeiro salário liguei para ele, eu fiquei chorando e ele emocionado também. Já fui ajudando, já coloquei um portão eletrônico na casa, pedi para ele deixar eu pagar algumas coisas aqui. No começo ele não queria deixar, mas fui convencendo. Primeira coisa que eu fiz foi comprar uma rede para ele, o primeiro presente foi esse”, lembrou.

O pai comentou que hoje se sente realizado vendo a filha concretizando seu sonho.
“Eu sinto orgulho dela. Quando ela estiver precisando e eu estiver com vida, mesmo depois de casada, eu vou estar lá ainda para o que ela precisar. Pai não cria filho pra si. Ela diz que eu não vou ficar sozinho não. Quando ela conseguir comprar algum imóvel, vai me levar para morar do lado dela”, afirmou.

Aline vai comprar um apartamento para o pai morar perto dela. “Ele fala que não vai morar em apartamento, mas quando eu tiver o meu vou comprar um pra ele em baixo ou em cima do meu”, contou.

A jovem está fazendo residência em clínica médica para depois se especializar em gastroenteorologia.

“Não me vejo fazendo outra coisa, se eu tivesse feito outro curso, não sei se estaria plenamente feliz como estou hoje. Eu estou começando a viver agora o dia a dia da profissão e é muito gratificante ver o paciente melhorar, ver que você pode fazer a diferença na vida de alguém”, pontuou.

Tales assumiu os cuidados da filha quando ela tinha 9 anos. Ele decidiu mantê-la na escola particular na qual a mãe, que veio a falecer por causa de um câncer no estômago, havia matriculado para que ela tivesse uma boa base estudos.

“Quando ela começou a estudar, a minha esposa colocou ela no jardim em um colégio particular. A mãe dela adoeceu, faleceu e eu não tirei. Era uma escola boa, católica e ela ficou lá até o final do ensino médio, então ela teve uma base boa. Ela é guerreira”, disse Tales.




[VÍDEO] Parasita sendo retirado do intestino (Prepare seu estômago)


Uma percentagem significativa da população sofre algum momento das suas vidas parasitas intestinais.
A palavra parasita significa qualquer organismo vivo que vive à custa do outro. parasitas intestinais são vermes e micro-organismos encontrados no intestino humano, usando-o para o alimento.
parasitas intestinais são um problema menor nos países desenvolvidos, porque o seu tratamento rápido é facilmente erradicá-los. Ao desenvolver a presença abundante de parasitas intestinais, juntamente com os países pobres nutrição, envolvem um problema de fraqueza crônica, especialmente em crianças que são a parte mais afetada da população.
Na presença de sinais que pressupõem a possível existência de parasitas no organismo é desejável uma visita ao médico para diagnosticar exatamente se o corpo está infestado. O médico irá prescrever o tratamento mais adequado que os pacientes devem seguir. Este tratamento deve realizar todos os membros da família e parentes ou pessoas que estão geralmente relacionados ao hospedeiro. Veja o vídeo






Os piores cheiros que médicos sentem na sala de cirurgia.

Não é raro que os mais corajosos, ou melhor, com sangue-frio já tenham se aventurado nos vídeos que mostram cirurgias em detalhes, como se o espectador estivesse lá – dentro da sala e quase com a mão no bisturi.
Mas há algo que você nunca vai sentir pela internet (pelo menos por enquanto):

O cheiro


Tudo tão limpinho. Mas qual será o cheiro?!
Sarah Laskow, jornalista do Atlas Obscura, conta que tinha apenas 11 anos quando o pai, médico, a convidou para assistir a uma de suas operações. Sua primeira impressão foi sobre o centro cirúrgico: tão organizado e estéril que ela nunca imaginou o que o seu nariz estava prestes a sentir.
Uma sala de cirurgia é tão bem organizada e esterilizada que é difícil imaginar que ela seja capaz de ter qualquer tipo de cheiro”, escreveu.
Mesmo quem não é chegado no assunto, deve saber que, assim que o procedimento começa, é necessário que a pele do paciente seja cortada por um bisturi. Para atravessar a gordura, o equipamento usado é o cautério elétrico, que chega a temperaturas muito altas.

Cautério elétrico


Cautério Elétrico
Ele cauteriza pequenos vasos sanguíneos para limitar o sangramento, dessa forma, o primeiro cheiro a aparecer é o de carne sendo queimada.
Na minha memória, esse cheiro é nauseante e insuportável, tive que deixar a sala nesse momento, porque não consegui lidar com isso. Cortar o corpo cria uma fumaça e eu me lembro do cheiro como algo muito pior do que cabelo queimado”, conta a jornalista.
Para alguns médicos isso é algo bem comum, eles estão tão acostumados que, alguns, até dizem que o cheiro é bom, “semelhante a um churrasco”.

Além do cheiro

Além do cheiro de carne queimada, outro bem marcante, em algumas cirurgias, é revelado através do corte do osso, que é semelhante ao de cabelos sendo queimados. Um cheiro metálico completa o ambiente, por causa do sangue. Cérebros e tumores – apesar de alguns cães serem treinados para identificá-lo – não possuem nenhum tipo de cheiro.

Neurocirurgia: retirada de tumor.

Contudo, há algumas cirurgias que até mesmo os próprios médicos não aguentam o mal odor. São as que envolvem tecido morto ou em estado de decomposição, em que há alguma presença de bactérias, pus, tais como casos de gangrena gasosa, em que bactérias infectam e mata o tecido deixando um cheiro particular; peritonite, uma infecção do abdômen que tem o cheiro de um cadáver decomposto; e sangue digerido, que é algo que ninguém deve presenciar.
Outra condição que tem uma péssima reputação por causa do odor desagradável é a gangrena de Fournier – que afeta a região do períneo e pode ser fatal. Essencialmente, envolve carne morta e o médico precisa fazer a remoção dela. O cheiro? Um estudante de medicina descreveu como “cocô, lodo de esgoto, podridão, coisas mortas, tudo isso em uma coisa só”.
Outro terror dos médicos são as cirurgias que envolvem intestino morto. De acordo com a jornalista, um deles descreveu como “o pior cheiro possível. É basicamente, uma combinação de fezes e carne morta que infesta completamente todo o lugar”.
De acordo com seu pai, “o cheiro parece permear através do avental e luvas e permanece em você. Não importa quantas vezes você lave as mãos, ele não vai desaparecer”.
Mas, isso faz parte do trabalho. E se você está se perguntando como eles fazem para lidar com isso, saiba que há um pequeno truque: passar um pouco de Vick VaporRub, óleo de gaultéria ou tintura de benjoim nas máscaras cirúrgicas.

Açúcar: A nova droga do século XXI (Confira)

Um alerta para os apaixonados por doces





É isso mesmo: o açúcar pode ser chamado de droga, pois vicia e faz um mal enorme para o organismo. Alguns médicos já propõem tributar o açúcar, assim como o cigarro e álcool, para que seu consumo seja diminuído na sociedade.

O jornalista americano William Dufty publicou, em 2002, o livro Sugar Blues, no qual ele compara os produtores de açúcares aos traficantes de drogas. No livro, também são citadas doenças psiquiátricas graves, distúrbios cardiovasculares e dores no corpo devido ao consumo de açúcar. Desde então, só aumentaram os estudos relacionados a esse doce, que, de repente, pode tornar-se muito amargo.

Muitas pesquisas apontam o açúcar como descalcificante, desmineralizante, desvitaminizante e empobrecedor metabólico. As provas estão nos grandes consumidores de açúcar que diariamente enfrentam abstinência da substância, ficando fracos, apresentando tremores, vertigens e enjoos.

Em muitos casos, a substância está ligada a várias doenças, como osteoporose, problemas de crescimento, distúrbios glandulares, doenças oculares, diarreias crônicas, pressão alta, infecções, asma, bronquite, cáries, enxaquecas, distonias neurovegetativas, diabetes, leucemias, cânceres e problemas de pele.

O açúcar não tem nutrientes, o que faz com que ele seja digerido rapidamente e, consequentemente, provoca uma elevação nos níveis de glicemia, o que aumenta o depósito de gordura nas células.

De acordo com um estudo da Universidade de Sydney, na Austrália, as pessoas que consumiram baixo teor glicêmico, em determinado tempo, conseguiram emagrecer mais rapidamente e saudavelmente. Com esse mesmo pensamento, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a ingestão do açúcar refinado não ultrapasse 10% do consumo diário total de calorias.


Açúcar refinado
O açúcar refinado tem 100% de caloria, sem valor nutricional e, se consumido em excesso, pode causar obesidade, diabetes e até alguns tipos de câncer. Não só o consumo da substância in natura é prejudicial, mas os alimentos que apresentam carboidratos provocam o efeito de aumento rápido e exagerado de glicose, o que aumenta a secreção de insulina no pâncreas. Insulina em excesso pode baixar as taxas de glicemia rápido demais, o que faz com que a pessoa tenha mais vontade de comer, podendo, assim, engordar com mais facilidade.

Frutose
Já o açúcar das frutas, a frutose, não é visto como vilão, pois a maneira como ele é processado no organismo não provoca nenhuma resposta de insulina. Além disso, as frutas também oferecem vitaminas, fibras, antioxidantes e água. Dessa forma, muitos médicos recomendam apenas a ingestão da frutose na dieta alimentar.
Essa ingestão da frutose evita a hipoglicemia, que é um distúrbio que se manifesta por meio de vários mal estares, podendo causar até mesmo a depressão, segundo alguns especialistas.

Adoçante
Alguns médicos ainda sugerem a substituição por adoçantes: mesmo que haja controvérsias por ser uma substância química, ainda não foi comprovado nenhum mal advindo de adoçantes.

Quer emagrecer? Nos do Doutor Natureza indicamos: https://go.hotmart.com/G3666563T 

Açúcar mascavo
O açúcar mascavo apresenta 5% de nutrientes, sendo assim, pode ser uma opção mais saudável, mas aconselha-se um consumo moderado. Os maltes de cevadas também já são bastante utilizados no lugar dos açúcares.

Açúcar em bebidas
Precisa-se tomar cuidado com bebidas alcoólicas e demais bebidas que contenham açúcares, pois a velocidade com que a glicose entra no sangue é aumentada e torna-se agressiva do ponto de vista metabólico.

Com esses exemplos, é possível concluir que o açúcar afeta o metabolismo de forma bastante hostil, comprovadamente. Assim, é preciso tirá-lo da dieta ou pelo menos diminuir o consumo com o tempo. Outras fontes de energias, como massa e pães, são exemplos de fontes de energia mais completas, que podem promover a saciedade e são uma forma de evitar cada vez mais o vilão.

Quer emagrecer? Nos do Doutor Natureza indicamos: https://go.hotmart.com/G3666563T 

A depressão e a ansiedade são sinais de luta, não de fraqueza

Existe uma falsa crença de que a ansiedade e a depressão são sinais de fraqueza e de incapacidade diante da vida. Mas não, uma pessoa com ansiedade, depressão ou sintomas mistos NÃO está louca e nem tem uma personalidade fraca ou inferior aos outros.
É triste e esgotador lutar contra isso, mas é uma realidade social que não podemos ignorar. Assim, apesar dos avanços da ciência, o inconsciente moderno que envolve nossa sociedade ainda pensa que os problemas emocionais e psicológicos são sinônimos de fragilidade e vulnerabilidade.
Por isso, dado que a depressão e a ansiedade não são contempladas como feridas que precisam de atenção, é comum ouvir discursos circulares com argumentos do tipo “relaxe”, “não é para tanto”, “comece a se mexer, a vida não é isso”, “você não tem razões para chorar”, “comece a amadurecer”, etc.
São comuns, não é verdade? De fato, é provável que em algum momento tenhamos sido vítimas ou até proferido este tipo de discurso. Por isso é fundamental realizar um exercício de conscientização e dar à dor emocional a importância que ela tem e merece.

Assim, da mesma forma que não iríamos ignorar a dor causada por fortes pontadas no estômago ou uma enxaqueca terrível, não deveríamos ignorar a dor emocional.
Não podemos esperar que estas feridas emocionais se curem sozinhas, devemos trabalhar para extrair delas o significado presente em seus sintomas.
Ou seja, devemos consultar um psicólogo que nos ajude e nos proporcionar estratégias para fazer frente a esta grande dor emocional causada pela ansiedade e pela depressão.
Seguindo com nosso exemplo, assim como deixamos de consumir a lactose quando descobrimos que somos intolerantes a ela, devemos “deixar de consumir”aqueles pensamentos e circunstâncias que infeccionam nossa ferida emocional.
Não valem curativos ou vendas: devemos limpá-las e curá-las verdadeiramente.
Por isso, neste artigo pretendemos normalizar aquelas sensações das pessoas que possuem problemas emocionais deste tipo. Vejamos mais sobre eles para podermos compreender e nos conscientizar…

A ansiedade, uma viagem nefasta em uma montanha russa

As sensações que nos invadem com a ansiedade são muito similares às que surgem em um passeio de montanha russa em que começamos a nos sentir mal.
Coloquemo-nos nesta situação. Fomos passar o dia em um parque de diversões no qual encontramos uma montanha russa incrível e decidimos andar nela. Para fazer isso, temos que esperar em uma longa fila até que chegue a nossa vez.
O dia é quente e o sol está batendo forte em nossa cabeça, o que nos causa uma grande dor e mal-estar físico. Sentimo-nos cansados e não temos vontade de subir no vagão, mas fazemos isso, porque afinal estamos ali para aproveitar.
Uma vez sentados, nosso coração começa a bater forte, tudo dá voltas ao nosso redor, os vagões giram 360 graus várias vezes, nos submergimos em túneis escuros e tudo parece nos atacar.

Nossa respiração se acelera e nosso coração não pode parar. Sentimos que de um momento ao outro vai acontecer alguma coisa conosco. Nossas sensações estão bagunçadas, algo nos aprisiona no peito, ficamos imóveis e sem capacidade de reação.
Não podemos evitar pensar em coisas negativas. Gritamos, choramos e nos queixamos, mas ninguém nos ouve, nem sequer nós mesmos. Pedimos desesperadamente que tudo aquilo pare, e sentimos que estamos morrendo na tentativa.
No entanto, não conseguimos fazer com que nosso vagão freie, pois ele só parará quando acabarem os minutos programados para a viagem.
Neste sentido, um ataque de ansiedade é igual a uma viagem que nos faz mal em uma montanha russa. Em um dado momento tudo vai acabar, mas não sabemos quando nem como, por isso manter o controle diante desta incerteza é algo tão difícil de fazer.


A depressão, a escuridão da alma


Quem sofre de depressão sente que o mundo está envolto em névoa. Pouco a pouco vai perdendo a ilusão por tudo que o rodeia, não há nada que anime ou motive, é difícil estudar ou ir ao trabalho, e a pessoa se sente imensamente triste ou irritável.
A depressão é a gota que faz transbordar o copo, um copo que está cheio de situações e circunstâncias complicadas que nos fizeram mal e mexeram conosco negativamente.
Por isso é importante que, quando nos dermos conta de que algo vai mal, consultemos um profissional que nos ajude e dê coerência emocional ao que está acontecendo conosco.
Ter problemas emocionais não é uma escolha. Uma pessoa com depressão não diz ‘Quero me sentir mal e me coloco em um poço de tristeza para ver se me afogo com ela’. Isso não funciona assim. Na verdade, isso pode acontecer com qualquer um de nós.








Ninguém está livre das garras da depressão e da ansiedade

A depressão e a ansiedade não são sinais de fraqueza, mas sim de força. Estes problemas emocionais não aparecem da noite para o dia, mas surgem pouco a pouco por causa das dificuldades e do esgotamento emocional.
Elas também não são consequência de uma escolha pessoal. Não podemos dizer se queremos ou não queremos que nos acompanhem. Ambos os problemas emocionais são derivados da luta contra as dificuldades da vida que nos acompanham e, portanto, por termos tentados permanecer fortes por tempo demais.
Não podemos nos esquecer disso, pois ninguém está livre de se relacionar com a ansiedade e a depressão em algum momento da sua vida, seja de maneira direta ou indireta.
Prestemos atenção, compreendamos estes problemas e, sobretudo, não julguemos nem a nós nem aos outros…


Feto abortado se mexendo (cenas fortes)



O chocante vídeo que você vai assistir logo mais abaixo dessa página é a respeito de um feto que mesmo após abordado continuou se mexendo. Antes do vídeo fique com uma pequena introdução sobre o que é o aborto:

Aborto é a interrupção precoce da gravidez, espontânea ou provocada, com a remoção ou expulsão de um embrião (antes de oito ou nove semanas de gestação) ou feto (depois de oito ou nove semanas de gestação), resultando na morte do concepto ou sendo causada por ela. Isso faz cessar toda atividade biológica própria da gestação. Fala-se em dois tipos de abortos: os espontâneos e os induzidos.

O aborto espontâneo é a expulsão involuntária, casual e não intencional de um embrião ou feto antes de 20 a 22 semanas de gestação. A idade avançada da gestante e a história de abortos espontâneos anteriores são os dois maiores fatores de risco de abortamento. As anomalias cromossômicas do feto ou embrião são a causa mais comum de aborto espontâneo precoce, mas há outras causas possíveis, como doenças vasculares, problemas hormonais, infecções, anomalias uterinas, trauma acidental ou intencional e intoxicações químicas. Um sangramento vaginal intenso poder ser um sinal de abortamento espontâneo.



*Foto, o vídeo está mais abaixo.

O aborto induzido, também denominado aborto provocado, é o aborto causado deliberadamente por razões médicas admitidas pela lei ou clandestinamente por pessoas leigas, o que constitui crime. Pode acontecer pela ingestão de medicamentos ou por meio de métodos mecânicos. Quando o aborto é realizado devido a uma avaliação médica é dito aborto terapêutico. O aborto provocado por qualquer outra motivação é dito aborto eletivo.

Como é feito o aborto:



O aborto pode ser feito por métodos cirúrgicos ou farmacológicos (medicamentosos). Os abortos farmacológicos são feitos por medicações que interrompem a gestação e promovem a expulsão do embrião e só são viáveis no primeiro trimestre da gravidez. Os abortamentos realizados por médicos, nas clínicas ou hospitais, podem ser feitos por sucção (um aparelho de sucção é ligado ao útero da gestante e é feita a sucção do conteúdo uterino), dilatação do colo do útero e posterior extração mecânica do feto, curetagem (raspagem do conteúdo uterino por um instrumento parecido com uma colher, chamado cureta) e injeção salina (a injeção é feita dentro da bolsa amniótica). Algumas vezes o abortamento pode ser realizado através de medicações que inibem o desenvolvimento do feto e, em geral, tem que ser complementado por alguma intervenção cirúrgica. As medicações destinadas a provocar o aborto podem ser administradas por via vaginal ou oral. *ATENÇÃO* Muitas mulheres, no entanto, recorrem a métodos caseiros ou a atendimentos em clínicas clandestinas, o que aumenta em muito os riscos de complicações sérias e, às vezes, fatais.  Quando realizados sem a necessária assepsia, por pessoas sem treinamento e por meio de equipamentos perigosos, quase sempre levam a sérias complicações e à morte. *ATENÇÃO*

Vídeo de um feto abortado se mexendo:



Inscreva-se em nosso canal no Youtube: CLIQUE AQUI


No Brasil, atualmente, o aborto pode ser feito legalmente em casos de estupro; quando existe grave risco de vida para a mãe ou quando o feto tenha graves e irreversíveis anomalias físicas (anencefalia, por exemplo), desde que haja o consentimento do pai e atestado de pelo menos dois médicos confirmando a situação.





Curta nosso Facebook: https://www.facebook.com/blogcorpohumano/

Compartilhe o vídeo em suas redes sociais: